Startup inova o mercado de imóveis com Lego da vida real

Ao longo da vida, diferentes necessidades fazem com que você tenha que investir, diversas vezes, em um novo lar. Por exemplo: ao sair da casa dos pais, ou casar, ou após ter filhos, são situações que, normalmente, exigem que você procure um local diferente para morar.

Ao notar essa necessidade de mudança de imóvel durante a vida, a empresa Molegolar teve a seguinte ideia: e se seu apartamento pudesse aumentar e diminuir diante de mudanças na situação da família, tipo um lego?
Saulo Suassuna Fernandes Filho, o criador da Molegolar, conta que o cliente não se compromete com um apartamento grande ou pequeno, mas pode ir comprando e vendendo módulos de acordo com sua necessidade.
Em um ano de negócio e um investimento inicial de 100 mil reais, a Molegolar possui quinze empreendimentos em negociação; dois já estão em fase de construção. A expectativa é que os primeiros clientes passem a morar nos módulos no final de 2017. Ao todo, mil desses módulos já foram negociados.

Startup reinventa mercado de imóveis com Lego da vida real

foto: reprodução

Como funciona?
Para colocar em prática os módulos da empresa, é necessário que a planta já seja pensada para isso.
São feitos variados tipos de planos, em cada andar: é permitido ter de dois a 12 módulos por pavimento, sendo que cada um tem entre 30 m² e 80 m² de área. O preço do metro quadrado de tais módulos custa em torno de sete mil reais.

Startup reinventa mercado de imóveis com Lego da vida real

foto: reprodução

É plausível fazer diversas combinações de módulo. Por exemplo, você pode começar comprando quatro módulos. Mas, se seu filho se sair de casa e for morar sozinho, você poderá vender, alugar ou emprestar a área ociosa do apartamento! Ou seja: não há metragem fixa de apartamentos por cada andar, porém, caso os outros módulos do andar estejam ocupados, é necessário realizar a negociação com o vizinho. Você pode comprar módulos ao lado, em cima ou embaixo do seu apartamento, permitindo que seja feito um dúplex!
É importante lembrar que cada módulo possui documentação própria (IPTU ou contas de água e luz, por exemplo), assim, a complicação é menor na hora de vender uma parte do apartamento.


Fonte: Exame

Posts recentes

Comentários

Arquivos

Categorias

Meta

DLegend Written by:

2 Comments

  1. 24 de maio de 2017
    Reply

    muito bom o artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *